A África é definitivamente um lugar que tem um “quë” especial. Apesar de “hospedar” alguns dos países mais pobres e famintos do mundo, sua beleza selvagem e intocada inspira muitos viajantes. E há um mundo de povos, culturas e paisagens a se conhecer na África. Decidimos começar conhecendo esse continente tão fascinante pelo seu país mais visitado turisticamente: a África do Sul.

Nós visitamos a África do Sul em 2010. Até hoje foi uma das nossas experiências mais incríveis de viagem. Vou procurar colocar as informações de forma mais atualizada possível, para facilitar a busca de quem vai fazer essa viagem agora.

Como planejar uma viagem para a África do Sul?

Existem várias formas possíveis de se conhecer a África do Sul. Uma das primeiras decisões que o viajante terá que tomar é se prefere fazer a viagem com uma agência ou por conta:

  • por agência de viagem

Muitas pessoas preferem contratar pacotes com agências de viagens para não ter que se preocupar com hotéis, passeios e com a logística. O que é totalmente válido, desde que a agência entenda o perfil do viajante e saiba trabalhar bem o destino, com bons parceiros locais, etc. Nós utilizamos e recomendamos muito a Terramundi, agência que trabalha com roteiros mais personalizados e tem larga experiência em roteiros para a África.

  • viagem por conta

É perfeitamente viável ir para a África do Sul por conta própria. Para começar, o idioma oficial do país é o inglês. Além disso, cidades como Cape Town e Johannesburgo são cosmopolitas, fácil de se comunicar e transportar. A região dos safáris, no Kruger National Park, tem muitos hotéis que oferecem pacotes completos e cuidam inclusive do seu transporte, principalmente nas reservas privadas. Vamos detalhar aqui algumas opções de roteiros que você pode usar para planejar e montar sua viagem.

Como planejar uma viagem por conta para a África do Sul?

Elefantes na África do Sul

  • Passagem aérea – Para Johanesburgo há opções de vôos diários pela LATAM e pela South African Airways. Você pode consultar preços por sites que comparam preços como o Kayak ou Skyscanner e comprar online.
  • Hospedagem – Nas metrópoles como Johanesburgo e Cidade do Cabo são diversas opções de hotéis e até mesmo AirBnb. Uma boa ferramenta para esse tipo de consulta e mesmo compra é o Booking.com. Para hospedagem na região dos safáris, você deve decidir sobre o tipo de hospedagem e destino (Parque Nacional / reservas privadas)
  • Transporte – Para quem gosta de alugar carros e rodar o país por conta, existem várias opções de bons roteiros na África do Sul. No entanto, devemos lembrar que a África do Sul adota a mão inglesa, o que desencoraja alguns viajantes a pegar um carro. Nas metrópoles, opções de transporte dentro da cidade costumam incluir ônibus, táxi e Uber.
  • Chip (SIM Card) – como em qualquer viagem internacional, a forma mais prática e econômica de manter o smartphone como um recurso para acesso à internet e ter um telefone para emergências é adquirindo um chip para o seu celular ao chegar no país. Normalmente as operadores vendem chips com pacotes de dados – escolha o pacote que se adequa mais ao seu uso regular de dados diário e que fique válido até o final da sua viagem. Normalmente compramos o chip no próprio aeroporto, apesar de não ser o local mais barato, mas as ofertas já são direcionadas para os turistas.
  • Dinheiro – A moeda oficial da África do Sul é o Rand, que costuma oscilar entre 0,25 a 0,30 do Real. O ideal é que as passagens aéreas e hospedagens sejam compradas com antecedência, para evitar perdas com grandes oscilações de preço. Em relação aos gastos do dia-a-dia, como passeios e alimentação, o ideal é levar a maior parte em moeda local. Deixe o cartão de crédito somente para emergências, já que se paga 6,38% de IOF sobre as compras com o cartão.

 

Principais destinos na África do Sul:

  • Cidade do Cabo: aparacendo com frequência entre as cidades mais bonitas do mundo, a Cidade do Cabo é realmente encantadora. Com um ambiente agradável e uma linda topografia, a cidade é um ótimo destino para quem quer passar dias nela e também para quem visita seus arredores.
  • Rota Jardim: estrada cênica que liga a Cidade do Cabo a Port Elizabeth. A rota jardim passa por diversas praias bonitas e cidades simpáticas. Infelizmente não tivemos tempo de fazê-la mas será uma das prioridades na nossa próxima viagem à África do Sul.
  • Durban: o terceiro maior centro urbano do país é um grande destino de surfe, atraindo tanto do turismo doméstico como do internacional. Suas praias tem a temperatura mais aquecida por conta das correntes do Oceano Índico.
  • Johanesburgo: longe de ser um típico destino turístico, Johanesburgo é uma cidade grande com vários problemas. Apesar disso, tem um importante ponto a seu favor. Por conta da recente abolição do apartheid, é uma cidade que vem sofrendo transformações sociais e culturais. Seus principais pontos turísticos são o Museu do Apartheid, o Soweto e a Casa de Nelson Mandela.
  • Kruger National Park: é o maior parque nacional da África do Sul, com quase 20 mil km2. Ao lado do Parque Nacional, estão algumas reservas privadas, que nada mais são do que partes do parque que foram divididas e privatizadas para serem utilizadas com fins turísticos visando também a conservação. O Parque Nacional do Kruger, junto com as reservas privadas, são os melhores locais para se fazer safári na África do Sul e ver de perto a vida selvagem das savanas.

 
 

Gostou desse post? Clique aqui para compartilhar:

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também:

Curtindo o frio e a natureza na Serra do Rio do Rastro

Qual é o seu sonho de viagem?
  • Outros:

GALERIA DE FOTOS