“Fernando de Noronha é muito caro”. “Ficou muito turístico, não é mais a mesma coisa”. “É tudo muito longe”.

Você pode arranjar 1000 desculpas para não conhecer Fernando de Noronha – e ainda estar certo sobre algumas delas. Minha resposta? Esqueça as desculpas e simplesmente vá!

Fernando de Noronha é um daqueles lugares que eu acho que todo brasileiro deveria conhecer. Para mim, particularmente, é um dos lugares mais bonitos do Brasil – e também do mundo. Sem falar da incrível fauna marinha que pode ser avistada a poucos metros apenas com uma máscara e snorkel.

Mas vale dizer que Noronha não é Cancún. Você não vai até lá para ficar em resort, sair do quarto direto para a praia, ou tomar um drink na piscina observando o mar. A beleza de Noronha tem que ser explorada. Fernando de Noronha é uma ilha vulcânica, com uma linda topografia, cheia de morros e encostas.

São diversas praias, cada uma com um visual diferente. Vale a pena passar 1 semana inteira na ilha para conseguir conhecer várias delas – e repetir alguma da sua preferência.

Onde se hospedar em Noronha

Paisagem Fernando de NoronhaVisual de Fernando de Noronha: Praia do Cachorro, Praia do Meio e Morro de Fora

A diferença de Fernando de Noronha para a maioria dos outros destinos de turismo no Brasil é que você paga o preço de um hotel ótimo em um hotel só bom. Paga o preço de um hotel bom em um “meia-boca” e o preço de um “meia-boca” em um ruim.

A boa notícia é que, hoje em dia, há opções de várias faixas de preço, desde hostels e casas de família a pousadas top, como é o caso do Maria Bonita, que é super concorrida. Tem até AirBnb.

A maioria das pousadas ficam na Vila dos Remédios, Floresta Nova, Floresta Velha, ou na Vila do Trinta. Essas vilas são uma ao lado da outra. É nessa região que ficam também a maioria dos restaurantes, e está próximo também do Projeto Tamar.

Nós optamos por nos hospedar na Pousada Monsier Rocha, que escolhemos pela relação ‘custo-benefício’. É uma pousada simples, sem grandes atrativos, mas limpa e organizada.

Minha recomendação é que você fique em uma dessas ‘vilas’, principalmente se pretende conhecer várias praias. Se for utilizar ônibus, vale ficar próximo da rodovia principal, onde passam os ônibus.

Como se locomover em Noronha

Para quem visita Fernando de Noronha a turismo, as principais opções que você tem de transporte pela ilha são: alugar um buggy ou uma moto, pegar táxi, ônibus regular de linha ou alugar uma bike.

Opção 1 – Alugar um buggy ou moto vale a pena?

A opção mais conveniente é a de alugar o buggy. Mas a conveniência sempre cobra um preço. O valor fica em torno de R$290/dia. Já a diária da moto sai por volta de R$170. A gasolina também não é nada barata na ilha.

Na minha sincera opinião, alugar buggy ou moto não vale a pena. Com o valor da diária que você paga, você consegue pegar vários táxis por dia.

Opção 2 – Andar de “busão”

O ônibus de linha existe na ilha principalmente para atender a população que vive em Noronha. Os locais não precisam pagar pela passagem. Para turistas, a passagem custa R$5 a viagem, mas ainda assim é uma boa opção para quem quer economizar.

Os ônibus cruzam a ilha, passando pela rodovia principal em intervalos de 30 minutos. São 2 veículos que partem do Porto para o Sueste e vice-versa, até as 22hs.

A desvantagem do ônibus é a imprevisibilidade do seu horário. O que deveria ser uma saída regular a cada meia hora tem bastante atraso, isso quando 1 dos 2 ônibus não quebra ou 1 dos motoristas não falta. Isso torna as esperas cansativas e faz com que você perca tempo que poderia estar aproveitando nas praias.

Opção 3 – Dá para alugar bike em Noronha?

Alugar bikes é certamente uma opção, mas rodar a ilha com bicicletas comuns exige preparo físico. São muitas ladeiras, ruas de paralelepípedos e estradas de terra. Por isso, muitos optam por alugar bicicletas elétricas, que além de tudo costumam estar em melhores condições que as bicicletas comuns.

O aluguel de bicicletas elétricas em Noronha fica em torno de R$60, mas as bicicletas precisam ser devolvidas até as 18hs para serem recarregadas durante a noite.

Opção 4 – Quanto sai um táxi em Noronha?

Por fim, temos os táxis. As corridas são tabeladas de acordo com a origem/destino, e na maior parte custam de R$20 a R$40. Praticamente de qualquer ponto na ilha é possível conseguir sinal para conseguir ligar e chamar um táxi. Além do fato de que na volta para o centro era sempre fácil de conseguir “rachar” as corridas com alguém.

Nós optamos por um combo “ônibus + táxi”. Basicamente, ao sair do hotel de manhã, tentávamos pegar o ônibus – principalmente se o destino era mais longe, como no caso do Sueste. Na volta, normalmente pegamos um táxi.

Taxas de Visitação para Noronha

Praia do Leão, parte do Parque Nacional Marinho de Fernando de NoronhaPraia do Leão, parte da área do Parque Nacional Marinho (PARNAMAR) de Fernando de Noronha

São 2 taxas que se pagam para poder visitar Noronha: a TPA (Taxa de Preservação Ambiental) e o valor do ingresso para o Parque Nacional.

A TPA é cobrada por dia de permanência na ilha e pode ser pago na chegada a Noronha ou antecipadamente através de boleto bancário. O custo por dia começa em R$73,52, mas tem uma leve redução a partir do 6º dia (valores de 2019). Confira a tabela atualizada de valores aqui. É a maior reclamação dos moradores da ilha pois é aquele dinheiro que “ninguém sabe para onde vai”.

Já o ingresso para o Parque Nacional só é obrigatório para visitação do Parque Nacional Marinho (PANAMAR), administrado pela Eco Noronha. Mas o Parque Nacional Marinho envolve vários pontos de visitação da ilha, como Sueste, Sancho e Atalaia.

Recomendo muito a visitação e considero totalmente pagável, já que é um custo que tem revertido em melhorias e conservação.

O custo do ingresso é de R$106 para brasileiros (valores de 2019) e é válido por 10 dias. Pode ser comprado antecipadamente mas precisa ser retirado no Centro de Visitantes do ICMBio (em frente ao Projeto Tamar) ou em um dos 3 PICs (Posto de Informação e Controle) da ilha. Os PICs são postos de controle nas praias do Sancho, Sueste e Leão.

 

O que fazer em Fernando de Noronha

Como é o mar em Agosto em Fernando de NoronhaMergulho no mar calmo próximo a Praia da Cachorro

Projeto Tamar

Quando se fala de um arquipélago, a 354 km da costa, turístico, habitado, e que virou um santuário de vida marinha, conservação sem dúvida é um tema muito importante!

O Projeto Tamar está em Fernando de Noronha desde 1984. Felizmente, as realizações desse projeto em Noronha, assim como em outras localidades, são muitas.

TartarugaTartaruga Verde, uma das espécies monitoradas pelo Projeto Tamar

As tartarugas marinhas, com seu complexo ciclo de vida, estavam sofrendo uma redução drástica em sua população na década de 80, que colocou todas as espécies em ameaça de extinção. Após décadas de estudos e trabalhos de conscientização e junto às comunidades, a tendência finalmente passou a ser de recuperação para a maioria dessas espécies.

Em Fernando de Noronha o Projeto Tamar conta com um museu a céu aberto informativo e um espaço para as palestras diárias (e gratuitas) sobre diferentes temas. Vale a pena prestigiar e conhecer! Confira a programação das palestras aqui.

 

Trilhas em Fernando de Noronha

Trilha do Atalaia Longa, Fernando de NoronhaPaisagem vulcânica avistada da Trilha do Atalaia longa

O Parque Nacional tem 5 opções de trilhas que precisam de agendamento prévio e tem vagas bem limitadas.

O agendamento deve ser feito obrigatoriamente no Centro de Visitantes do ICMBio, na Vila do Boldró. Recomendo que o agendamento seja feito no primeiro dia de viagem, mas não pode ter mais de 6 dias de antecedência.

As opções de trilhas do Parque Nacional são:

• Morro São José

São José é uma das ilhas secundárias que formam o arquipélago. O percurso para essa ilha, que fica alguns metros da ponta da Air France, no extremo nordeste da ilha principal, pode ser feito a nado, na maré alta, ou pelas pedras, na maré baixa. Chegando no morro, tem uma piscina natural. A nado, é necessário o acompanhamento de guia, além do uso de máscara, snorkel e nadadeiras. O percurso é geralmente feito em aprox. 20 min o trecho.

• Abreus

A Trilha dos Abreus é um percurso ida-e-volta de 2km de caminhada leve/ intermediária que vai da Praia do Sueste até uma piscina natural na encosta do mar de fora. Não é obrigatório o acompanhamento de guia.

• Pontinha-Caieiras

Encosta do mar de fora, trilha Atalaia- Pontinha-CaieirasEncosta da ilha com o mar batendo forte nas pedras vulcânicas

A trilha de 3.7km da Pontinha-Caieiras dá acesso a 2 piscinas naturais, além de uma vista linda da encosta de Noronha. Sai da Vila dos Trinta e acaba próximo ao Porto Santo Antônio. Esse mesmo percurso faz parte da trilha Atalaia longa, juntando com a trilha que dá acesso à piscina natural do Atalaia (Atalaia curta). Obrigatório acompanhamento de guia.

• Atalaia

Pedras vulcânicas em Fernando de NoronhaPedras vulcânicas próximas à Praia do Atalaia, em Fernando de Noronha

A trilha do Atalaia é a mais concorrida de Fernando de Noronha e tem 2 versões: a longa e a curta. A trilha curta do Atalaia tem 1,5km de extensão e leva somente à piscina natural do Atalaia.

A trilha longa basicamente une as trilhas Atalaia e Pontinha-Caieiras. Foi a trilha que nós escolhemos fazer, são aproximadamente 4 a 5 horas de duração. As 3 piscinas naturais que fazem parte desse percurso são: Atalaia, Pontinha e Caieiras.

Piscina natural que se forma na maré baixa próxima a Praia do Atalaia, Fernando de NoronhaExemplo de piscina natural que se forma na maré baixa na costa do mar de fora da ilha

Todas as 3 piscinas, mas em especial a do Atalaia, têm uma enorme diversidade de vida marinha. Seu fundo é repleto de corais e outras espécies, e as formações que a isolam do mar aberto fazem da piscina um verdadeiro santuário. É possível encontrar lagostas, polvos, moréias, pequenos tubarões, entre várias outras espécies.

As piscinas são rasas, e a única atividade permitida é a flutuação, com máscara, snorkel e colete salva-vidas. O ecossistema das piscinas é frágil e por isso não é permitido tocar o fundo. As flutuações só poderão ser feitas durante a maré baixa. O guia/condutor responsável irá tentar programar a trilha de acordo com a programação da maré.

Trilha Atalaia Longa, Fernando de NoronhaTrilha do Atalaia (longa) – A mesma paisagem pode ser vista na trilha Pontinha-Caieiras

Além das piscinas naturais, no entanto, a Trilha do Atalaia tem uma outra beleza que muita gente não fala – a topografia da ilha. Fernando de Noronha é um arquipélago vulcânico. Mas foi somente percorrendo a Trilha do Atalaia que pudemos ver esse lado de visual exótico da ilha. Durante a trilha, o visitante consegue ver várias encostas de pedras vulcânicas. Era difícil associar esse tipo de visual com o Brasil. Parecia mais uma paisagem da Escócia, Noruega ou da Islândia. É muito bonito!

• Capim-Açu

Capim-Açu é a trilha mais longa e puxada de Noronha. É uma trilha que cruza o Parque Nacional, saindo do PIC Sancho e acabando na Praia do Leão. São 9km de trilha, passando pela caverna do Capim Açu, algumas piscinas naturais e por lindos mirantes com vistas privilegiadas da ilha. É obrigatório o acompanhamento de um guia.

Trilha do Piquinho

Uma outra trilha bastante popular em Noronha mas que não faz parte do Parque Nacional é a Trilha do Piquinho. O Piquinho fica ao lado do Pico, que é o ponto mais alto da ilha. Uma boa opção é subir o Piquinho no final de tarde, para observar o pôr-do-sol. É uma trilha curta mas bem íngreme com algumas partes desafiadoras. Recomendo fazer com o acompanhamento de um guia.

Mergulho livre (snorkel) e mergulho de cilindro

Mergulho livre em NoronhaMergulho livre com máscara e snorkel

Nos meses de mar calmo, a visibilidade do mar de Noronha é excelente! Noronha já foi considerado o melhor destino para mergulho com cilindro do Brasil.

Realmente o mergulho com cilindro é sensacional. Noronha oferece possibilidades de mergulho com cilindro em alto mar (saindo de um barco) e próximo da costa, saindo da praia. Relato a experiência que tivemos com esse tipo de mergulho logo abaixo.

Mas para muitos que não se sentem confortável com um cilindro a vários metros abaixo da superfície, o mergulho livre com máscara e snorkel é uma excelente opção. Nós levamos o nosso kit para snorkel, mas há vários lugares na ilha que alugam esse tipo de equipamento a preços razoáveis.

Nós fizemos mergulho com snorkel em praticamente todas as praias que visitamos em Noronha. Com a visibilidade boa, já é o suficiente para ver muito da vida marinha.

Quem não está acostumado com essa atividade, talvez prefira usar também um colete e nadadeiras. Mas consulte sempre a condição do mar e do vento antes de sair explorando o mar. De preferência, sempre saia acompanhado.

Mergulho de cilindro no Porto

Mergulho naufrágioExplorando os destroços dos navios naufragados próximos ao Porto Santo Antônio em mergulho com cilindro

Apesar de adorar mergulho com snorkel, o mergulho de cilindro é uma experiência completamente diferente e fascinante para quem consegue aproveitar.

Nossa experiência de mergulho em Noronha foi no naufrágio, na Praia do Porto. A vantagem de um mergulho como esse é que a partida é da própria praia, e com isso a descida para o fundo é naturalmente gradual. Para quem não tem carteirinha de mergulho, ainda assim pode fazer esse mergulho, mas terá que realizar alguns exercícios práticos na parte rasa no início do passeio.

Mergulho em Noronha

A experiência de mergulhar no naufrágio do Porto em Noronha foi excelente. Recomendaria com certeza para quem curte mergulho até mesmo para iniciantes. Em determinado momento do passeio, até pudemos assistir a golfinhos nadando em cima do nosso grupo.

As praias de Fernando de Noronha

Noronha tem cerca de 12 praias principais, cada uma com seu próprio atrativo. Vale a pena ficar pelo menos 7 dias hospedado na ilha para poder conhecer a maioria delas. A primeira grande divisão que se faz em relação às praias é: ‘mar de dentro’/ ‘mar de fora’.

Mapa de praias de Fernando de NoronhaMapa de Fernando de Noronha

São consideradas ‘mar de dentro’ as praias da face norte da ilha, ou podemos dizer que as que são (ligeiramente) voltadas para o Brasil. São elas: Porto, Praia do Cachorro, Praia do Meio, Conceição, Boldró, Praia do Americano, Cacimba do Padre, Baía dos Porcos e Praia do Sancho.

Mar de dentro, Fernando de Noronha“Mar de dentro”  das Praia do Cachorro como vimos em Agosto – calmo como uma piscina

Já as do ‘mar de fora’ são as da face sul: Praia do Leão, Sueste e Praia do Atalaia.

Mar de fora, Fernando de Noronha“Mar de fora” da Praia do Leão em Agosto

Existe uma grande diferença no quesito calmaria do mar em relação as praias do mar de dentro e do mar de fora. Nos meses de Julho a Setembro, o ‘mar de dentro’ costuma ser super calmo enquanto que o ‘mar de fora’ experiencia ondas e águas mais agitadas. Já nos meses de Dezembro a Fevereiro, a situação se inverte.

Nós conhecemos Noronha no mês de Agosto, quando a maior parte das praias está com o mar sem ondas. Particularmente, eu prefiro essa opção. Só sentimos de não conseguir pegar o Sueste em um dia bom.

Praia do Meio – Praia da Conceição – Praia do Cachorro

Praia do Cachorro em Fernando de NoronhaEu (de roupa preta na foto) nadando de volta para a Praia do Cachorro após caminhar pelas pedras até o Buraco do Galego

O trio Praia do Meio – Conceição – Praia do Cachorro estão bem próximas da Vila dos Remédios então dá para ir tranquilamente a pé.

Do nosso hotel da Vila dos Trinta, bastou atravessar a rodovia e andar mais uns 800m para chegar na praia. As ‘vilas’ ficam no topo da colina então para ir para as praias é preciso descer. O caminho é todo em descida íngreme, na maior parte por uma ruazinha de paralelepípedo.

Igreja dos Remédios, Fernando de NoronhaIgreja Nossa Senhora dos Remédios, Fernando de Noronha

No caminho, você ainda passa por algumas construções históricas e ruínas como: Palácio São Miguel, a Igreja Nossa Senhora dos Remédios e ruínas do Antigo Presídio!

Forte Santo Antônio, Fernando de NoronhaPalácio São Miguel, Vila dos Remédios, Fernando de Noronha

Praia do Meio / Morro de Fora / Praia da Conceição

Praia do Meio, Fernando de NoronhaPraia do Meio, Fernando de Noronha

Começamos visitando a Praia do Meio. Só lembro de pensar: espero que todas as praias sejam iguais a essa! Com um mar completamente limpo e sem ondas, nos jogamos na água com máscara e snorkel e saímos nadando. Logo no raso já é possível ver um “montão” de peixes coloridos e diferentes – uma experiência incrível sem praticamente nenhum esforço.

Morro de Fora NoronhaMorro de Fora, que separa as Praias do Meio e da Conceição

Decidimos contornar o Morro de Fora que separa a Praia do Meio da Conceição. Você percebe que está ficando mais fundo quando vê o fundo de areia cada vez mais longe. Mas ainda assim, pegamos visibilidade total – incrível! Vimos até algumas tartarugas no caminho. Depois de alguns minutos nadando, chegamos no final da rocha e entramos na Praia da Conceição.

Praia da Conceição, NoronhaPraia da Conceição, Fernando de Noronha

Na Praia da Conceição, o mar continuava aquela “piscina” repleta de vida marinha. Aproveitamos mais um tempo nadando ali. A Praia da Conceição também é um ótimo lugar para se observar o pôr-do-sol.

Pôr-do-sol na Praia da ConceiçãoPôr-do-sol na Praia da Conceição

Piscina natural Morro de Fora

Piscina natural morro de foraPiscina natural do Morro de Fora, na Praia do Meio, Fernando de Noronha

Um “segredo” (entre muitas aspas) que a Praia do Meio guarda é uma piscina natural que existe entre suas pedras. A piscina é realmente linda e deliciosa – mas procure visitá-la um dia ou horário que não tenha muita gente senão seu tempo dentro dela será o tempo de tirar a foto.

Caminho para piscina natural do morro de foraCaminho das pedras para a Piscina do Morro de Fora

A piscina natural fica na área rochosa do Morro de Fora, mas do lado da Praia do Meio. Ela pode ser acessada pelas pedras ou pelo mar, mas somente na maré baixa. Das 2 formas, é preciso ter muito cuidado. Nós preferimos ir pelas pedras. Mas é importante calçar um tênis ou outro sapato confortável para andar bem sobre as pedras até chegar na piscina. A piscina natural não é visível da praia.

Informe-se também sobre a tábua das marés – que mudam a cada dia. Você deve calcular para que o percurso de volta ainda esteja durante a maré baixa.

Praia do Cachorro

Praia do Cachorro, Noronha Praia do Cachorro, Fernando de Noronha

A Praia do Cachorro fica ao lado da Praia do Meio. É uma praia muito bonita, mas mais comprimida em espaço e aproveitada pelos locais. Um atrativo para muitos dessa praia são as piscinas naturais em suas pedras. São: o Buraco do Galego e a Lasca da Velha.

Lasca da Velha, Fernando de NoronhaLasca da Velha, na Praia do Cachorro, em Fernando de Noronha

Essas 2 piscinas naturais ficam entre as pedras do lado direito da Praia do Cachorro. Só podem ser acessados pelas pedras e durante a maré baixa. Apesar de ser um grande atrativo turístico, essas 2 piscinas naturais são tão pequenas que cabe pouco mais de uma pessoa lá. Nem sempre o esforço de caminhar sobre as pedras vale a pena – é comum fazer fila e você quase não aproveita nada.

Buraco do galego na Praia do CachorroBuraco do Galego, na Praia do Cachorro, Fernando de Noronha

Praia do Porto

Praia do Porto, Fernando de NoronhaPorto Santo Antônio, Fernando de Noronha

O Porto Santo Antônio é o único de Fernando de Noronha e, portanto, o local de onde saem e chegam todas as embarcações.
Apesar disso, é um excelente lugar para se fazer mergulho livre e de cilindro. No início do século XX, 3 grandes naufrágios ocorreram em Fernando de Noronha, bem próximos ao Porto. Com o tempo, os destroços do navio no fundo do mar se tornaram uma excelente “moradia” para várias espécies marinhas, que atraem peixes, tartarugas, arraias, etc. Descrevo nossa experiência de mergulho de cilindro aqui.

Vida marinha em Fernando de NoronhaPequeno tubarão que vimos com snorkel na Praia do Porto

Apesar do mergulho com cilindro ser excepcional, o simples mergulho livre, com máscara e snorkel, no Porto já satisfaz muito bem a vontade de ver vida marinha. É possível inclusive ir nadando da praia até os naufrágios – e dá para ver os destroços da superfície!

Vale a pena verificar a tábua das marés! Fernando de Noronha tem 2 marés altas e 2 baixas durante o dia. Para quem quer ver o naufrágio só com snorkel, o ideal é pegar a maré baixa pois você acaba se aproximando mais dos destroços.

Atenção! Apesar do grande fluxo de mergulhadores no Porto, o mergulho autônomo requer muita atenção principalmente em relação aos barcos que se movimentam o tempo todo. Sua segurança deve vir sempre em primeiro lugar! Mergulhe sempre em duplas ou grupos e esteja sempre atento!

Praia do Boldró / Praia do Americano

Escolhemos um dia chuvoso para conhecer a Praia do Boldró. Pegamos um ônibus até o Projeto Tamar e andamos por 500m até a Praia do Boldró. No caminho você passa também pelo Projeto Golfinho Rotador, que nós não conseguimos conhecer pois estava fechado.

A Praia do Boldró era bonita, mas seria injusto comparar com as outras que conhecemos em dias bonitos. A garoa deixou o tempo mais friozinho mas ainda assim fizemos um snorkel que já nos permitiu ver muitos peixes e tartarugas.

Após o snorkel, caminhamos até a Praia do Americano, que achei parecida com a do Boldró, porém de menor extensão. Como a maré estava baixa, foi tranquilo de fazer a passagem pelas pedras. Dá para seguir caminhando e acessar as Praias do Bode, do Quixabinha e a Cacimba do Padre, que fica em frente ao Morro dois Irmãos.

Por conta do mau tempo, decidimos voltar para a Praia do Boldró e almoçamos em um restaurante na beira da praia, que realmente não indico, não foi uma boa experiência.

Captura científica de tartarugas

Nesse dia pudemos assistir à captura científica das tartarugas marinhas pela equipe do Projeto Tamar. Esse evento acontece uma vez por semana, na Praia do Boldró, e é livre para quem quiser assistir.

Funciona assim: A equipe do Projeto Tamar entra na água para fazer a captura das tartarugas (com as mãos mesmo) e as trazem para a areia. Em seguida, eles analisam, medem e pesam as tartarugas enquanto vão explicando para os turistas que vem assistir. Após alguns minutos, eles as devolvem para o mar. Com isso o Projeto Tamar consegue monitorar alguns indivíduos para saber se estão saudáveis enquanto promove a conscientização do público em relação às tartarugas marinhas.

Praia Cacimba do Padre – Baía dos Porcos

Praia Cacimba do Padre, Fernando de NoronhaPraia Cacimba do Padre, Fernando de Noronha

Pegamos um táxi para a Praia Cacimba do Padre com o intuito de ver o principal cartão-postal de Fernando de Noronha: o Morro Dois Irmãos.

Ao chegarmos na Praia Cacimba do Padre, deixamos nossas coisas nas pedras, pegamos nosso snorkel e nadadeiras e começamos a nadar até os morros. Os morros são realmente próximos da praia, então com o mar calmo o nado é realmente tranquilo, especialmente na parte de trás, protegida do vento pelos morros. Preferimos não fazer o ‘8’ – contorno total dos morros – pois no ‘mar aberto’ já havia algumas ondas. De qualquer forma, mesmo com o mar calmo, o mergulho livre sempre exige bastante atenção e deve ser feito sempre em grupos de 2 ou mais pessoas por segurança.

Morro Dois Irmãos NoronhaMorro Dois Irmãos, Fernando de Noronha

Os 2 Morros, muito parecidos no formato, na verdade têm uma diferença gritante ao ser observados de perto: enquanto um deles é pura pedra vulcânica, o outro é coberto por vegetação. Os Morros ficam em frente a uma das pontas da Praia Cacimba do Padre, já invadindo a área chamada de Baía dos Porcos. A combinação dos 2 morros com a linda baía ao lado forma o principal cartão postal de Noronha – e uma das paisagens mais bonitas que já vi, sinceramente!

Baía dos Porcos, Fernando de NoronhaBaía dos Porcos, Fernando de Noronha

Após observar o ‘abismo’ do oceano e contemplar de perto a linda encosta dos morros, começamos a nadar de volta para terra firme, porém dessa vez, para a Baía dos Porcos. A Baía, apesar de estreita, é um excelente lugar para ficar relaxando e vislumbrando a vida marinha. Pela posição protegida, tem uma das águas mais calmas de Noronha e, ao mesmo tempo, é repleta de peixes coloridos que nadam em suas rochas. Dá para ficar horas ali e não cansar.

Pôr-do-sol na Praia Cacimba do PadreAssistindo ao pôr-do-sol na Praia Cacimba do Padre

Em determinado momento, resolvemos voltar para a Praia Cacimba do Padre, o que dá para fazer por terra pela Baía dos Porcos. O caminho passa inclusive por um mirante onde algumas das melhores fotos do Morro Dois Irmãos são tiradas. O visual de cima é realmente lindo. Passamos o resto da tarde relaxando na Cacimba do Padre, até o sol se pôr, e chamamos um táxi de volta para o hotel.

Praia do Sancho – Mirante dos Golfinhos – Mirante Baía dos Porcos

Praia do Sancho, Fernando de NoronhaPraia do Sancho, Fernando de Noronha

Reserve pelo menos um dia para conhecer uma das praias mais famosas de Fernando de Noronha, a Praia do Sancho. A Praia do Sancho fica dentro da área do Parque Nacional Marinho, então é obrigatório a apresentação do cartão do PANAMAR para a entrada.

Nesse dia nós preferimos pegar um táxi para chegar até o PIC Sancho, que é o ponto inicial para as trilhas e acesso à praia. Dá para ir de ônibus também, mas note que da rodovia são cerca de 1000m em estrada de terra até o PIC.

Mirante dos golfinhosGrupo de golfinhos avistados da trilha do PIC Sancho

O complexo engloba uma estrutura com banheiros, lanchonete, loja de souvenires, aluguel de equipamentos e cerca de 3km de um percurso de trilha suspenso por uma passarela. O percurso passa por alguns mirantes como o Mirante dos Golfinhos e o Mirante Baía dos Porcos, além de dar acesso à Praia do Sancho.

Para quem não quiser passar pelos mirantes, existe uma opção de acesso à Praia do Sancho mais curta, mas a beleza de Fernando de Noronha não está só nas águas cristalinas, está também nas encostas, e toda a topografia da ilha. Vale a pena fazer o percurso, além do fato de ter a chance de avistar golfinhos, passáros e – se der muita sorte – talvez até uma baleia.

Mirante Baía dos PorcosMirante Baía dos Porcos, ponto final da trilha que começa no PIC Sancho

O Mirante Baía dos Porcos, no final do percurso, dá uma das belas vistas da baía, por ser um ponto bem alto. Algumas das fotos mais bonitas de Noronha foram tiradas desse local.

O acesso à Praia do Sancho

Apesar da trilha pela passarela ser uma caminhada fácil e bem acessível, o acesso à praia já é bem diferente. Para se chegar à Praia do Sancho, é preciso descer uma escada de metal presa nas rochas, passando por alguns trechos bem estreitos. O caminho de volta é o mesmo que o de ida.

Escada para Praia do Sancho, Fernando de Noronha

Além de ser um percurso chato, só passa uma pessoa por vez, o que causa uma fila. Não é preciso dizer que uma vez que você estiver lá embaixo na praia, você não vai querer subir de volta a não ser que seja para ir embora ou que realmente precise. Leve uma mochila com lanches e outros suprimentos que possa precisar; mas não leve tanto que dificulte passar pelas escadas, lembre-se que precisará usar as mãos.

A Praia do Sancho é realmente linda, como muitas em Noronha. Não achei essa particularmente especial, apesar de ter pego um dia com um pouco de ondas por conta da lua cheia na noite anterior.

O PIC Sancho fica aberto ao público das 6h30 as 18h30.

Sueste / Leão

Praia do Leão, Fernando de NoronhaPraia do Leão, Fernando de Noronha

As praias do Sueste e do Leão ficam no lado da ilha chamado de ‘mar de fora’, a frente sul de Fernando de Noronha. As 2 fazem parte da área protegida pelo Parque Nacional, sendo obrigatória a apresentação do cartão do PANAMAR.

Praia do Sueste

A Praia do Sueste é famosa por ser um dos melhores pontos para a prática de mergulho livre (snorkel) por ter um formato em “C” e ser mais protegida das ondas que as outras praias do mar de fora.

No entanto, os melhores meses (leia-se: melhores = mar mais calmo) do mar de dentro são os piores para o mar de fora. Infelizmente não pegamos uma boa condição para a prática do snorkel no Sueste. Acabou ficando como um “must-do” para a próxima visita a Noronha.

A Praia do Sueste tem algumas peculiaridades. Para começar, é o único local do Atlântico Sul que abriga mangue de ilhas oceânicas. Além disso, o ecossistema do Sueste funciona como um berçário para várias espécies marinhas. Inclusive é uma das praias com maior quantidade de tartarugas e até tubarões são vistos com bastante frequência nessas águas.
Para proteger esse ecossistema da atividade humana, somente uma parte da praia é acessível para banho e mergulho, que fica separada por bóias da outra parte, que só pode ser acessada por pesquisadores autorizados.

Acesso ao Sueste

O PIC Sueste é um dos pontos turísticos da ilha mais longes da Vila dos Remédios. Dessa forma, é um dos trajetos de táxi mais caros dentro da ilha. Por esse motivo, preferimos pegar o ônibus para chegar no Sueste.

Por ser o ponto inicial/ final do ônibus, é fácil sair do Sueste de ônibus. A entrada do PIC fica na beira da praia, com uma estrutura com lanchonete, banheiros, loja de souvenires, aluguel de equipamentos e área de descanso – e ao lado do ponto de ônibus.

Trilhas

O PIC Sueste dá acesso a algumas trilhas curtas, como a para a Ponta do Caracas e para a Praia do Leão.

A Ponta do Caracas está na ponta da península. É uma caminhada de 1,5km o trecho para chegar ao ponto onde se encara de frente o vasto Oceano Atlântico Sul. Dá também para fazer um desvio para um mirante da Praia do Sueste, e passar também pelas ruínas do Forte São Joaquim do Sueste.

Praia do Leão

Praia do Leão, Fernando de NoronhaPraia do Leão, Fernando de Noronha

A Praia do Leão está a pouco mais de 1km do PIC Sueste. Essa praia costuma ser uma das mais perigosas para banho, estando sujeita a fortes correntes marítimas. Apesar disso, vale muito a pena ir ao menos até o Mirante da Praia do Leão conhecer a beleza desse lugar.

Eu particularmente achei um dos visuais mais hipnotizantes de Fernando de Noronha. As ondas batiam forte nos recifes de corais, e a espuma transformava a água em diversos tons de azul. Na maré baixa principalmente é possível observar vários desses recifes.

A Praia do Leão é um importante ponto de desova de tartaruga durante os meses de Dezembro a Maio. É possível acompanhar esse processo de desova junto ao Projeto Tamar – mas o processo acontece durante a noite e é preciso garantir uma das poucas vagas para poder participar.

Outras opções de atividades em Noronha

Museu Tubarões – Enseada dos Tubarões

Enseada dos Tubarões, Fernando de NoronhaEnseada dos Tubarões – pode-se avistar vários tubarões-lixa nadando juntos no raso

Vale a pena visitar o Museu Tubarões e a Enseada! Eles estão muito próximos do Porto Santo Antônio e da Praia de Caieiras, onde acaba a Trilha do Atalaia (longa). É uma boa opção de lugar para conhecer após a trilha.

O Museu Tubarões é um museu aberto, mas muito informativo. Nós nos acostumamos a ter uma visão muito “vilanizada” do tubarão, com histórias que ouvimos desde crianças. Creio que temos que aprender muito com os fatos e abrir nossas mentes para outros conceitos. É muito interessante e educativo!

Museu Tubarões NoronhaMuseu Tubarões, Fernando de Noronha

A Enseada dos Tubarões também está logo ali, logo depois da pequena Capela de São Pedro dos pescadores. Quando visitamos, conseguimos ver uma quantidade bem grande de tubarões lixa nadando e interagindo na enseada.

Tubarão-lixa na Enseada dos Tubarões, Fernando de NoronhaTubarão lixa nadando na Enseada dos Tubarões

Ilha Tour – vale a pena?

Uma opção de passeio muito popular para o 1º dia em Fernando de Noronha é o Ilha Tour. O Ilha Tour nada mais é do que uma van, ou carro, que faz um tour pela ilha completa, geralmente em grupo, mas que passa pelas principais praias da ilha. O passeio custa a partir de R$230,00 por pessoa e muitas vezes é a opção de quem acredita que não vai ter tempo de conhecer tudo.

Minha opinião sincera? Não vale a pena. Não faria se ficasse nem mais nem menos tempo na ilha. Eu não acredito que um tour guiado, com meia hora em cada praia consiga ser proveitoso. Fica cansativo, você perde praticamente 1 dia para isso, e o pior: nem sempre isso ajuda você a formar a melhor opinião de que praia voltar. Cada dia, cada hora pode apresentar condições de céu, mar e vento diferentes.

Se tiver que escolher, prefiro não conhecer todas as praias mas conseguir aproveitar cada dia que tenho em Noronha da melhor forma.

Passeio de Canoa Havaiana

Passeio de canoa havaiana em Fernando de NoronhaPasseio de canoa havaiana no nascer do sol em Noronha – espetacutar!

Um passeio que eu recomendo muito em Noronha é o passeio de canoa havaiana no amanhecer.

Recebemos uma indicação de um guia para esse passeio, e foi excelente. Super recomendamos o Danilo do Noronha Canoe Clube, e o passeio também.

Fizemos o passeio na canoa Maka Launa de 2hs para pegar o nascer do sol. O valor ficou em R$180 por pessoa, mas foi inesquecível.

Canoa havaianaCanoa Maka Launa

Programamos com um taxista a saída do hotel às 5h30 para chegar no Porto às 5h40. Após apresentação ao guia, ele nos explicou um pouco sobre a dinâmica do passeio e nos deu um breve treinamento. O passeio é tranquilo e não há necessidade de experiência com remo ou conhecimento técnico.

Nascer do Sol em Fernando de NoronhaNascer do sol próximo à Ilha São José

Ao embarcarmos na canoa havaiana, começamos a remar em direção a pontinha da ilha, próximo da Ilha São José para ver o céu ficando laranja no lindo nascer do sol de Noronha. Um espetáculo!

Nascer do sol em Fernando de NoronhaSol nascendo no encontro do “mar de dentro” com o “mar de fora”

Depois, continuamos remando no sentido oposto, até a Praia da Conceição, onde paramos a canoa por um tempo para fazer um mergulho com snorkel.

No caminho de volta para a Praia do Porto começamos a ver alguns golfinhos nadando. Os golfinhos foram se aproximando até que começaram a nadar do nosso lado, alguns passando por baixo da nossa canoa. Tivemos que parar de remar para não correr o risco de bater com o remo em nenhum, foi incrível. É bem comum conseguir observar golfinhos nessa região de manhã cedo. Era uma das nossas expectativas com esse passeio e realmente foi demais!

O que levar para Noronha

Fernando de NoronhaRelaxando no mar da Praia do Cachorro

Por conta dos altos preços de Noronha, evite deixar para comprar muitas coisas lá. O que é indispensável:

• Roupas de banho;
• Chapéu ou boné;
• Filtro solar;
• Repelente de insetos (para a noite)
• Protetor labial;
• Óculos de sol;
• Mochila;
• Máquina fotográfica;
• Tênis ou outro sapato confortável para trilhas e caminhadas;
• “Flip-flops” (chinelos)

Além desses itens essenciais, nós também preferimos levar:
• Squeeze ou garrafa de água reutilizável;
• Barrinhas de cereais ou outra opção de “snack” para dias de maior atividade;
• Toalhinhas para praia e para trilhas;
• Máquina a prova d’água;
• Kit para mergulho livre (máscara, snorkel, nadadeiras e camiseta com proteção UV).

 
 

Gostou desse post? Clique aqui para compartilhar:

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também:

Curtindo o frio e a natureza na Serra do Rio do Rastro

Qual é o seu sonho de viagem?
  • Outros:

GALERIA DE FOTOS