Um dos lugares mais turísticos do Brasil é a Serra Gaúcha. Porém, falar em Serra Gaúcha, ou em turismo no Rio Grande do Sul leva muitas pessoas a pensar em Gramado e Canela. Convenhamos, Gramado e Canela são duas cidades super agradáveis – mas a Serra Gaúcha é muito mais do que isso.

O post de hoje é dedicado à região dos Cânions na Serra Gaúcha. São opções de passeio menos conhecidas, mas com muito mais natureza – e na minha opinião muito mais bonitos.

Para quem quer aproveitar bem a região, a melhor opção é se hospedar alguns dias em Cambará do Sul. É a cidade mais próxima dos Cânions Itaimbezinho e Fortaleza, os principais cânions do Rio Grande do Sul. Mas dá  também para fazer bate-volta de outras cidades da Serra Gaúcha. De Gramado, por exemplo, dá pouco mais de 2hs por trecho.

 

Cambará do Sul

Também conhecida por “Terra dos Cânions”, Cambará do Sul é uma pequena cidade na Serra Gaúcha que é porta de entrada para o Parque Nacional Aparados da Serra e para o Parque Nacional da Serra Geral. Esses 2 parques nacionais abrigam 2 dos mais famosos cânions do Brasil.

Por estar a mais de 1000 metros de altitude, Cambará do Sul é uma das cidades mais frias do Rio Grande do Sul e do Brasil. Apesar de pequena, por conta do turismo, a cidade oferece uma boa variedade de hotéis e pousadas.

Nós decidimos nos hospedar na Pousada Vila Ecológica. Pousada simples, mas limpa e organizada, com ar-condicionado quente e frio, cama bem confortável e um bom café-da-manhã. Demos muita sorte pois pegamos o quarto mais alto, e em um dos dias assistimos um lindo pôr-do-sol do quarto.

Uma outra dica para quem passa por Cambará do Sul é conhecer a Fazenda Sabores da Querência, um local de produção artesanal de geléias e antepastos. O visitante é convidado a conhecer a fazenda e a produção orgânica da maioria das frutas que eles usam para as geléias, e também a fazer uma degustação dos principais produtos. Vale a visita, lugar muito agradável e as geléias são deliciosas!

 

Como chegar

Cambará do Sul está a uma distância de 135km de Caxias do Sul, 113km de Gramado e 196km de Porto Alegre. O caminho passa pela rodovia RS-020, que corta a cidade de Cambará do Sul.

Quem estiver vindo de Porto Alegre ou de Gramado, pode querer fazer uma parada em São Francisco de Paula, que tem seus próprios atrativos, incluindo trilhas nos arredores.

Nós paramos em São Francisco de Paula somente para almoçar e, por acaso, acabamos conhecendo a incrível Livraria Miragem. A livraria tem 3 andares e se tornou um ponto turístico da região. A proprietária Luciana construiu a Livraria Miragem como um espaço de cultura e lazer. A livraria tem um enorme acervo de livros, inclusive uma sala dedicada à história do Rio Grande do Sul. O espaço conta também com sala de leitura e uma área dedicada a objetos de decoração e exposição de arte.

 

Cânion do Itaimbezinho

Um dos Cânions mais famosos do Brasil é o gigante Cânion do Itaimbezinho. Situado no Parque Nacional de Aparados da Serra, o Cânion do Itaimbezinho faz parte do município de Cambará do Sul. É uma excelente opção de passeio para pessoas de praticamente todas as idades.

Araucárias no Parque Nacional de Aparados da Serra

A parte superior do Cânion está a cerca de 17kms de Cambará do Sul, acessível por estrada de terra. Não tivemos problema com a estrada de terra mesmo com carro baixo. É possível seguir o caminho pelo GPS, porém fique atento pois tem mais de um local com o nome ‘Itaimbezinho’. O destino no GPS deve estar como “Cânion do Itaimbezinho, Parque Nacional de Aparados da Serra, Cambará do Sul”.

Estrada de terra no caminho para Cânion do Itaimbezinho

Uma das recomendações que eu costumo fazer para esse tipo de lugar é consultar a previsão do tempo antes de ir. Nos cânions, é muito comum surgir neblina que impossibilita a visão de dentro do cânion. Procure ir em dias de céu aberto. De forma geral, a visibilidade costuma ser melhor no inverno, e no período da manhã – mas isso pode variar.

O ICMBio, administradora do Parque Nacional de Aparados da Serra, disponibiliza um mapa do parque – para acessar clique aqui.  A parte superior do Cânion Itaimbezinho tem 2 trilhas, a Trilha do Cotovelo e a Trilha do Vértice. Eu recomendo fazer as duas, pois elas proporcionam vistas de pontos diferentes do Cânion.

Vista do Cânion Itaimbezinho da Trilha do Cotovelo – Parque Nacional dos Aparados da Serra

A Trilha do Cotovelo é a mais longa, com 3km o trecho (6 ida e volta). Fizemos essa com um casal de amigos e 2 crianças, e foi super tranquilo. A trilha é quase toda plana, e a maior parte dela é em estrada não pavimentada, com bastante vegetação. Acabando a estrada, tem um mirante na borda do cânion. A trilha segue contornando a borda do cânion até um último mirante.

Trilha do Cotovelo, no Cânion Itaimbezinho – Parque Nacional dos Aparados da Serra

A Trilha do Vértice tem somente 700m de extensão, sendo no total 1.4km ida e volta. Na Trilha do Vértice tem 2 mirantes, de onde se enxerga o cânion de frente e a Cachoeira das Andorinhas.

Vista do Cânion do Itaimbezinho da Trilha do Vértice – com a linha Cachoeira das Andorinhas

Para quem gosta de trilhas mais intensas, a recomendação é a Trilha do Rio do Boi, que passa por dentro do Cânion. A Trilha do Rio do Boi sai do município de Praia Grande, em Santa Catarina. É uma trilha com maior nível de dificuldade, passando por muita mata, travessias de rio, e com 6-8hs de duração. O melhor é fazer com um guia – consultamos com alguns guias locais e o valor estava em torno de R$135/pessoa para 2 pessoas. Acabamos não fazendo nessa viagem por conta das baixas temperaturas.

 

Cânion Fortaleza

Cânion Fortaleza, Parque Nacional da Serra Geral

Distante 22km da cidade de Cambará do Sul, o Cânion Fortaleza é o principal atrativo do Parque Nacional da Serra Geral. Assim como o Cânion do Itaimbezinho, é administrado pelo ICMBio, e não cobra valor de entrada para os visitantes. No entanto, não tem estrutura como Centro de Visitantes, banheiro, etc.

Para chegar ao Parque Nacional da Serra Geral, o visitante passa por cerca de 10km por estrada de terra. A estrada tem bastante pedras, mas não é tão ruim que não possa ser feita com carro baixo. Fizemos esse trajeto com nosso próprio carro (um Ford Fiesta), mas para aqueles que preferem poupar o veículo, podem contratar o passeio com agência em Cambará do Sul

Logo que entramos na área do Parque, tivemos que assinar um termo de responsabilidade, afirmando estar cientes dos perigos decorrentes da visita. O principal motivo desse termo é por não haver cercas na área do Cânion Fortaleza, o que requer um cuidado extra por parte dos visitantes. Apesar disso, as trilhas são tranquilas para serem feitas por conta, tomando os devidos cuidados – como em qualquer outro lugar.

Passando a entrada do parque, o visitante pode percorrer ainda mais alguns quilômetros de carro até o início das trilhas. No início de cada trilha, há algumas vagas para estacionamento. Essa mesma estrada segue até o último estacionamento, onde começa a Trilha para o Mirante.

Vista da Trilha do Mirante, no Cânion Fortaleza, Parque Nacional da Serra Geral

As 3 principais trilhas no Cânion Fortaleza são:

  • Trilha do Mirante – é a principal trilha do parque, de onde se tem uma vista panorâmica dos paredões do Cânion Fortaleza. A caminhada passa por alguns trechos pedregosos e de subida, mas o esforço é totalmente recompensado pela vista. Do outro lado, em dias abertos, dá para enxergar bem o litoral gaúcho, como a cidade de Torres. São aprox. 3km de trilha, ida e volta.

Litoral Gaúcho, com a cidade de Torres, ao fundo

  • Trilha do Tigre Preto – trilha que dá acesso à Cachoeira do Tigre Preto por cima. Para poder enxergar a Cachoeira de frente, o visitante deve passar por cima dela pelas pedras. Quando visitamos o parque, em Junho, o volume de água não era alto, e a travessia foi muito tranquila. Também são aprox. 3 km de trilha ida e volta, sem grandes dificuldades. A continuação dessa trilha dá na Pedra do Segredo.

Linda e gigante – Cachoeira do Tigre Preto

Para ter uma idéia do tamanho dessa Cachoeira, olha como eu fico pequena na foto:

  • Trilha da Pedra do Segredo – pode ser acessada pela estrada principal do parque ou pela Trilha do Tigre Preto. Vale a pena seguir pela Trilha do Tigre Preto pela curta distância até a Pedra do Segredo. A Pedra só é vista de longe, o interessante dela é o fato de ser uma pedra de 5 metros de altura e estar equilibrada em uma base de 50cm.

Pedra do Segredo, no Cânion Fortaleza

Para quem preferir explorar mais o Parque a pé, pode também fazer uma trilha que liga o Mirante ao Tigre Preto.

Vista do Cânion Fortaleza da Trilha do Tigre Preto

Apesar de não recomendável para crianças menores, ou pessoas com alguma de dificuldade de locomoção, o Cânion Fortaleza é uma das principais atrações de Cambará do Sul e da Serra Gaúcha. Na minha opinião, é ainda mais bonito que o Itaimbezinho.

Programe-se para conseguir visitar em um dia limpo para garantir boa visibilidade do cânion. Vá com sapato adequado para trilha e não deixe de levar água, comida e protetor solar. De preferência, separe um dia inteiro só para poder explorar o cânion com calma e em seu próprio ritmo. Mas não deixe de conhecer esse que é um dos lugares mais bonitos do Brasil.

 

Cascata dos Venâncios

Além dos Cânions, uma outra opção excelente de lugar para contemplar a natureza na região é a Cascata dos Venâncios. São aprox. 22km de distância da cidade de Cambará do Sul. O acesso passa pela Fazenda Cascata dos Venâncios, propriedade particular que cobra R$10/pessoa a entrada.

Para chegar na fazenda, da rodovia RS-020, deve-se seguir a placa para Jaquirana. Quem usa o Google Maps, deve colocar ‘Fazenda Cascata dos Venâncios’ como destino. Nós demoramos para encontrar o caminho certo pois havíamos colocado ‘Cachoeira dos Venâncios’ e o aplicativo nos levou para outro lugar.

Parte superior da Cachoeira dos Venâncios

Saindo da rodovia RS-020, logo vem a estrada de terra. Nós seguimos por ela até a fazenda com nosso próprio carro sem problemas – é mais tranquila que a estrada para os Cânions.

A Cachoeira dos Venâncios é, na verdade, um conjunto de cascatas que forma uma paisagem incrível. As trilhas dentro da propriedade são curtas e levam a diferentes quedas da cachoeira. Durante nossa visita pudemos caminhar vários metros por dentro do rio e ir até a beira das quedas.

 Dá para seguir pelo curso d’água até o topo da cachoeira, de onde dá para enxergar as outras quedas

Sequência de quedas da Cachoeira dos Venâncios

 

Gostou desse post? Clique aqui para compartilhar:

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também:

Curtindo o frio e a natureza na Serra do Rio do Rastro

Qual é o seu sonho de viagem?
  • Outros:

GALERIA DE FOTOS