Se o Rio é chamado de Cidade Maravilhosa, acho que o mesmo pode se dizer da Cidade do Cabo. Para começar, por sua topografia única. A inconfundível Table Mountain preenche a cidade com um visual incrível que pode ser visto de praticamente qualquer rua da cidade. Seu clima mediterrâneo e sua aura cosmopolita, com largas e arborizadas avenidas, tornam um passeio por essa cidade mais que agradável.

A verdade é que a Cidade do Cabo é uma cidade de primeiro mundo. Mas há mais do que somente um visual bonito da cidade com bons hotéis e restaurantes. A própria Table Mountain é uma atração por si própria. Há também muito o que se fazer nos arredores. A Cidade do Cabo tem uma localização privilegiada, distando pouco mais de 60km do Cabo da Boa Esperança.

Por esses, entre outros motivos, a Cidade do Cabo é um dos principais destinos da África do Sul.

Onde comer e se hospedar na Cidade do Cabo

A região mais valorizada da Cidade do Cabo é o Waterfront. Por ser uma área revitalizada e com muitas atrações, é agradável, segura e bem movimentada, de dia e de noite. Próximo ao Waterfront, estão os bairros de Green Point e Sea Point, que também são agradáveis e próximos ao mar. Nesses bairros as opções de hospedagem costumam ser um pouco mais em conta que no Waterfront.

Outra região interessante é o Centro, especialmente na região da Greenmarket Square. Foi onde nós nos hospedamos, no ONOMO Hotel Cape Town. É um hotel bom, moderno, confortável e bem localizado. Nessa região você fica mais próximo da Table Mountain e das atrações urbanas como os museus e o Distrito 6. À noite, no entanto, a região é menos movimentada. Dá para caminhar tranquilamente pela Long Street, mas as ruas paralelas são mais desertas.

Um restaurante que gostamos muito foi o Mama Africa, que valoriza tanto a comida como a cultura da África do Sul. O local é simples, mas toda noite tem uma banda tocando músicas africanas ao vivo, com marimbas e outros instrumentos típicos. Toda arte exposta no restaurante também faz parte de um acervo de arte africana.

Também recomendo escolher um restaurante para jantar no Waterfront. Nós escolhemos o restaurante Baía, que tem entre outros pratos, uma boa variedade de carnes e frutos do mar.

O que fazer na Cidade do Cabo

Iziko South African Museum

O Iziko South African Museum é um museu de história natural. Com ambientes que misturam fósseis, animais taxidermizados e esqueletos gigantes de baleia, um passeio por esse museu é tanto educativo como impressionante. Nós fomos e recomendamos.

Greenmarket square

A Greenmarket Square é uma famosa feirinha livre de artesanato no centro da Cidade do Cabo. Vale a pena conhecer, mas saiba que já se tornou uma atração bem turística, e até por isso, os preços não são tãao atrativos. Porém, há bastante espaço para negociar.

Table Mountain

A icônica Table Mountain no coração da Cidade do Cabo é definitivamente um ´must-do´para quem visita a cidade. É possível subir na Table Mountain a pé ou por bondinho. Mas fique atento: mudanças de tempo são frequentes e qualquer vento mais forte ou chuva pode fazer fechar o serviço do bondinho. Compre seu ingresso com antecedência – e não deixe esse passeio para o último dia.

A Table Mountain faz parte do Parque Nacional que leva seu nome. O bondinho fica em funcionamento durante o dia – consultar horários aqui. Para quem preferir fazer a pé, pode pegar a trilha Platteklip Gorge, de cerca de 3km de extensão. A trilha não requer habilidades especiais, mas é bem íngreme, como o próprio site informa.

A Table Mountain tem um platô com aproximadamente 3km de extensão por onde se pode caminhar e ter uma vista espetacular de toda a Cidade do Cabo. Minha atividade favorita na Table Mountain é fazer um piquenique enquanto se aprecia a vista. Também é um excelente lugar para apreciar o pôr-do-sol.

Victoria & Alfred Waterfront

O Victoria & Alfred Waterfront, também chamado de  V&A Waterfront, é um píer, onde estão reunidos lojas, mercearias, bares e restaurantes. O Waterfront é um dos principais pontos turísticos da Cidade do Cabo e é mesmo imperdível. É um ótimo lugar para se visitar, principalmente à noite.

Nós decidimos comer no restaurante Baía, que nos foi recomendado e adoramos! Há muitos restaurantes ali de excelente qualidade e com preços razoáveis – principalmente porque a conversão para o Real é bem convidativa!

Mesmo que você decida não fazer nenhuma refeição do Waterfront, ainda assim não deixe de visitar.

Camps Bay Beach

Uma das praias mais famosas da Cidade do Cabo, Camps Bay tem uma combinação de praia limpa, bonita, com boa estrutura, e com o visual das montanhas ao fundo.

Além de ser uma boa e conveniente opção para quem quer pegar praia, Camps Bay tem uma extensa faixa de areia com um calçadão para quem quiser caminhar ou praticar atividades físicas. É um ótimo lugar para passar o dia, até porque ao lado da praia tem uma boa variedade de bares e restaurantes.

Na ponta sul da praia, você vai encontrar a Camps Bay Tidal Pool, uma piscina natural formada pelas ondas, e separada do mar por um trecho de rochas e concreto. Para os que não se importam com a água gelada, é um bom ponto para a prática de snorkelling.

A beleza de Camps Bay se completa com o visual dos Doze Apóstolos ao fundo, nome dado às formações rochosas nas costas da Table Mountain.

Robben Island

A Ilha Robben, ou Robben Island, é o local onde Nelson Mandela ficou preso por mais de 20 anos. É um importante lugar para se visitar para quem se interessa pela história do Aparthaid.

O Aparthaid (que significa separação) foi um regime severo de segregação racial que começou na África do Sul em 1948. Durante o período do Aparthaid, áreas residenciais foram divididas, muitas vezes através da remoção forçada de alguns indivíduos. No final da década de 1970, chegou ao ponto de os negros serem privados de suas cidadanias.

O Aparthaid é um capítulo sombrio na história da África do Sul, que além de tudo trouxe muita violência e desordem. Foi um regime que durou até 1994, quando houveram novamente eleições multirraciais e democráticas, e Nelson Mandela foi eleito.

Os passeios que levam a Robben Island saem da Torre do Relógio, em 4 horários diferentes por dia. É um dos passeios mais concorridos da Cidade do Cabo, e por isso recomendo comprar os ingressos com antecedência. O passeio tem duração média de 4 horas e o ingresso custa 550 Rands por adulto (aprox. R$150) – valores de 2019. Mais informações no site.

District Six Museum

A área chamada de Distrito 6 era uma zona residencial da Cidade do Cabo. Sua principal característica era a diversidade de culturas, idiomas, religiões e classes sociais que viviam juntas. Era uma área cosmopolita e de um povo muito ativo, que englobava imigrantes, comerciantes, trabalhadores urbanos, artesãos, entre outros.

No entanto, com o regime do Aparthaid, o Distrito 6 foi declarado uma “área branca”, principalmente por sua posição central e estratégica, pela proximidade à Table Mountain. Na década de 70, mais de 60 mil pessoas foram removidas à força; suas casas foram destruídas pelo regime.

O District Six Museum foi criado em 1994 como uma forma de contar a história do que aconteceu no período do Aparthaid, e também a cultura dos povos que viviam lá no período pré-Aparthaid. O museu funciona como uma espécie de memorial de uma comunidade que foi destruída.

O museu fica aberto de Segunda a Sábado, e o ingresso custa na faixa de 45 a 60 Rands (aprox. R$11-16) por adulto. Você pode escolher a visita livre ou a visita guiada com horário. Os ingressos podem ser comprados pelo site. Infelizmente só descobri sobre esse museu depois de já ter visitado a Cidade do Cabo. Na minha próxima visita com certeza estará no meu roteiro.

Townships

As townships são áreas que foram construídas durante o período do Aparthaid, para “abrigar” negros, mulatos e imigrantes que foram removidos de outras áreas. As townships costumam ficar em áreas periféricas dos grandes centros urbanos da África do Sul, como é o caso da Cidade do Cabo.

Uma visita a townships na Cidade do Cabo ou em outra cidade da África pode ser muito interessante para entender a realidade do país. Apesar de ganhar visibilidade a cada ano e estar se consagrando cada vez mais como um destino do turismo internacional, a África do Sul ainda tem sérios problemas sociais. Conhecer somente os cantos mais bonitos do país não é conhecê-lo na sua essência.

Há guias autorizados e agências que vendem passeios pelas townships para turistas. Nós não fizemos mas me arrependo. O Ricardo Freire fez um post bacana no site Viaje na Viagem sobre esse tipo de turismo.

Lion’s Head e Signal Hill

Lion’s Head e Signal Hill são outros 2 morros que fazem parte do Table Mountain National Park e compõe a fantástica topografia da Cidade do Cabo.

A Lion’s Head (Cabeça-de-Leão) é comumente vista como uma boa opção de trilha do tipo “escalaminhada”. O pico está a 670m de altitude, e a trilha tem pouco mais de 2km de distância. O tempo médio de subida é 1h30 e há 2 opções de caminhos, sendo que um deles tem uma parte onde é preciso escalar as pedras com a ajuda de correntes. A trilha é aberta e gratuita. É muito popular para se ver o pôr-do-sol mas também há um grande número de pessoas que a percorrem à noite, especialmente em noites de lua cheia. Recomendável fazer com guia.

Já o Signal Hill, que representa o “corpo do leão”, é significativamente mais baixa, mas pode ser acessada de carro. Apesar da menor altitude, também é um excelente lugar para se contemplar o pôr-do-sol na Cidade do Cabo, pois fica bem em frete para o Waterfront, onde dá para ver bem o sol se pondo no mar. Do lado oposto, estão o Lion’s Head e a Table Mountain.

Devil’s Peak

Um dos picos mais altos da Cidade do Cabo, Devil’s Peak tem 1000m de altitude e é uma outra opção de destino para os que procuram por trilhas e aventura. Há algumas opções de caminhadas fáceis nas encostas mais baixas da montanha, e uma opção de subida com segurança para o pico, através da Saddle Path Trail, trilha que fica entre o Devil’s Peak e a Table Mountain.

O Devil’s Peak não é um dos lugares mais procurados da Cidade do Cabo, mas os que percorreram esse caminho mostram que a vista 360 graus do topo faz valer a pena.

É importante reforçar que picos como esse requerem cuidados extras, principalmente na descida, pois algumas opções de trilhas são muito íngremes e úmidas, e já houveram incidentes. Procure um guia autorizado para fazer a trilha com segurança.

Kirstenbosch National Botanical Garden

O Jardim Botânico de Kirstenbosch fica no pé da Table Mountain, e até por isso tem um visual lindo de dentro do parque. Um ótimo lugar para fazer uma caminhada e apreciar a natureza. O ingresso custa 70 Rands por adulto (aprox. R$19). Infelizmente não tivemos tempo de conhecer mas é praticamente unânime a opinião sobre a beleza do lugar.

Rota pela Península do Cabo

Uma das coisas mais bacanas da Cidade do Cabo é a fazer a viagem de carro pela Península do Cabo. Esse caminho passa pela Chapman’s Peak Drive, uma estrada cênica de apenas 9km de extensão, mas com um visual indescritível. A estrada leva o nome do pico ao sul da Cidade do Cabo. Passando por esse caminho, você tem os paredões de rocha do Chapman’s Peak de um lado, e um mar azulão de outro.

Na ponta sul da estrada, fica Noordhoek, que já é mais vazia, com um clima interiorano. Vale a pena uma parada na linda praia de Noordhoek, que chama a atenção pelo forte contraste do azul do mar com a areia bem clara.

Falo um pouco mais sobre as principais atrações da Península do Cabo logo abaixo. Para quem não se interessa em fazer essa rota dirigindo (lembrando que a África do Sul tem mão inglesa), pode fechar o passeio com uma agência, contratar um motorista, ou usar os ônibus de turismo tipo ‘Hop-on Hop-off’ da City Sightseeing.

Ilha das Focas

Existem 2 ilhas próximas à Cidade do Cabo que são chamadas de Ilha das Focas.

A primeira é chamada de Ilha das Focas mas o nome correto é Duiker Island, e fica próxima a Hout Bay. São diversas empresas no Hout Bay Harbour que oferecem o passeio de barco de cerca de 50min de duração. O preço do passeio fica em torno de 100 Rands (aprox. R$26) por adulto.

O passeio é curto mas muito gostoso. São centenas de focas rolando e dançando na água, adultos, filhotes, todos juntos. Para quem gosta de  vida selvagem, eu recomendo muito.

A empresa Animal Ocean oferece também em Hout Bay a opção de mergulho com as focas (seal snorkelling) de Setembro a Abril. Ao contrário do passeio de barco, são poucas vagas e por esse motivo deve ser agendado com antecedência.

A outra Ilha das Focas é uma ilha de pedras localizada na ‘False Bay’, do outro lado da Península do Cabo. O nome ‘Baía Falsa’ foi dado a essa porção de mar por terem confundido o local com a Table Bay, que fica mais ao Norte.

Para conhecer a “verdadeira Ilha das Focas”, em False Bay,  você deve agendar com antecedência o passeio com a Simon Town’s Boat Company. O passeio sai da cidade de Simon Town, na costa leste da Península do Cabo.

Dependendo da época do ano, pode-se ver também baleias e tubarões brancos que visitam a região à procura de alimento.

Boulders Beach

Boulder’s Beach é uma praia próxima a Simon’s Town, na Península do Cabo, a menos de 1h da Cidade do Cabo. É uma área de proteção ambiental que faz parte do Table Mountain National Park. Em Boulder’s Beach está uma grande colônia de pinguins africanos – a única espécie de pinguim que vive no continente.

Os pinguins vieram para essa região no final do século XX, e a colônia cresceu rapidamente. No entanto, a poluição e a pesca tiveram seu efeito e a população caiu drasticamente. De acordo com o site capetown.travel, restaram somente 2 pares reprodutivos, mas os esforços de conservação elevou a colônia para a marca de 3000 pinguins nos últimos anos.

A entrada é paga e o valor para 1 adulto está em 76 Rands (aprox. R$19,00).

O acesso à área se faz por uma passarela de madeira, de onde se chega bem perto dos pinguins. É incrível ficar observando esses animais. Eles são muito engraçadinhos, ao caminhar, ao interagir…. Recomendo muito! Lembrando que é proibido (e seria até perigoso) tentar tocar neles.

Uma curiosidade: antes de delimitarem a área da praia onde os pinguins vivem, não era raro vê-los invadindo as casas e entrando nas piscinas dos moradores da cidade.

Cape Point e Cabo da Boa Esperança

O Cabo da Boa Esperança, antigamente conhecido como Cabo das Tormentas, tem uma importância histórica.

Em 1488, Bartolomeu Dias dobrou, pela primeira vez, o Cabo da Boa Esperança, criando a primeira rota de navegação da Europa para o continente asiático. Essa mesma rota foi posteriormente usada por Vasco da Gama, o primeiro navegador a viajar da Europa à Índia, em 1497-98. Essa viagem ficou marcada como a mais longa viagem oceânica realizada até então.

Considerado o ponto mais a sudoeste do continente africano, o Cabo da Boa Esperança é uma das pontas da Península do Cabo, de onde se tem uma linda vista do Oceano Atlântico, que faz uma curva contornando a península. Muitos acreditam que nesse ponto está o encontro dos oceanos Atlântico e Índico. No entanto, o encontro desses 2 oceanos acontece no Cabo Agulhas, que é o ponto mais ao sul do continente, e dista mais de 200km do Cabo da Boa Esperança.

Na mesma Península do Cabo, a poucos quilômetros da Cidade do Cabo, está o Cape Point, que é a parte mais alta da península. É possível subir até o Cape Point de funicular ou a pé, por uma escadaria longa mas sem nenhuma dificuldade especial. Os 2 caminhos levam o visitante até o antigo farol, onde há também aquelas plaquinhas indicando a distância e a direção para grandes cidades do mundo. Vale muito a pena subir até o topo, pois de lá se tem uma vista sensacional para a Península do Cabo.

Outras opções de passeio próximas à Cidade do Cabo

Gaansbai – nado com tubarões (shark diving)

Uma das atrações turísticas mais procuradas na África do Sul: o mergulho com o tubarão branco.

Como funciona? O viajante que optar por fazer o mergulho com o tubarão branco irá comprar o passeio com uma agência autorizada, que o levará com um grupo em um barco até um determinado local onde eles acreditam que conseguirão encontrar os tubarões.

Tendo sucesso em atrair os tubarões para próximo, a empresa orientará os viajantes a entrarem em uma “jaula” que ficará na água, anexada ao barco. Normalmente entram nas jaulas grupos de 6 pessoas por vez, que ficarão somente com a cabeça para fora da água, e mergulharão no momento em que o tubarão estiver próximo.

Qual é o impacto do mergulho com o tubarão branco para a espécie?

Hoje existem grandes discussões a respeito dessa atividade, se o fato de agências de turismo estarem explorando os tubarões brancos como atrações turística podem gerar impactos negativos (ou não) para o meio ambiente e para a conservação da espécie.

Não existe consenso nessa questão. Há diversos artigos e blogs de pessoas que são contra essa atividade, justificando essencialmente que com o grande aumento de empresas oferecendo esse passeio, o comportamento natural dos tubarões brancos podem ser alterado.

Assim como também há inúmeros artigos que defendem a atividade, alegando que não foi observada nenhuma mudança de comportamento até então, e que com a atividade, cresce a conscientização da população em torno dos tubarões, assim como também cresce o interesse em se manter a espécie viva e ativa, o que pode ser um contraponto em relação às atividades ilegais de pesca que tem causado uma redução na população de tubarões nos oceanos.

Nós fizemos o mergulho com o tubarão branco e foi tão incrível. Isso foi em 2010. Hoje, tenho dúvidas se faria de novo. Em alguns casos, é difícil entender se aquilo está sendo prejudicial para o animal ou não.
 

Acredito que um dos pontos cruciais seja escolher uma empresa com boa reputação, que respeite as regras estabelecidas para esse tipo de atividade, e trabalhe dentro dos limites de segurança e responsabilidade tanto em relação aos turistas, como em relação aos tubarões.

Stellenbosch

Stellenbosch é uma cidade universitária a menos de 1h da Cidade do Cabo. Se tornou um grande atrativo turístico da região por conta de suas famosas vinícolas. Para quem realmente gosta, vai se deliciar com as paisagens e sabores de Stellenbosch. São realmente várias opções de vinícolas, que não tivemos tempo de conhecer. Para escolher qual visitar, você pode consultar as avaliações no TripAdvisor. Outra opção de destino de vinícolas – um pouquinho mais distante da Cidade do Cabo é Franschhoek.

Rota Jardim

A Rota Jardim é uma ótima opção de roteiro para quem curte viagens de carro. Partindo da Cidade do Cabo, a Rota Jardim percorre cerca de 800km até Port Elizabeth, costeando o extremo sul do continente africano e passando por cenários lindos!

É preciso separar no mínimo 4-5 dias para fazer essa rota cênica. Alguns dos principais atrativos são:

  • Hermanus – a 120km da Cidade do Cabo, famoso pela posição privilegiada para observação de baleias;
  • Cabo das Agulhas – ponto mais ao sul do continente africano;
  • Knysna Head Viewpoint – mirante para a junção do Rio Knysna com o mar;
  • Robberg Nature Reserve – reserva em Plettenberg Bay com lindas paisagens e opções de trilhas;
  • Bloukrans Bridge – ponte onde é feito um dos maiores saltos de bungee jump do mundo;
  • Tsitsikamma National Park – parque nacional com lindas florestas e opções de trilhas;
  • Jeffrey’s Bay – praia muito famosa entre os surfistas mas que também costuma atrair turistas em geral

 
 

Gostou desse post? Clique aqui para compartilhar:

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também:

Curtindo o frio e a natureza na Serra do Rio do Rastro

GALERIA DE FOTOS